quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Valendo R$ 1,8 milhão, São Paulo recebe finais da ESL Pro League Season 4 de CS: GO


As finais da ESL Pro League Season 4, um dos principais eventos de Counter-Strike Global Offensive, estão rolando em São Paulo. São 11 das melhores equipes de e-Sports do mundo disputando uma premiação total de US$ 600 mil (R$ 1,8 milhão).


Divididas em dois grupos 2 – um com 5 e outro com 6 times – as equipes disputam uma fase de grupos que dura até amanhã. Os primeiros colocados de cada chave vão direto para as semi-finais.

Enquanto isso, quem ficar em em 2º e 3º vão disputar as quartas de final. O mata-mata, vai ser disputado nos dias 29 e 30 de outubro, será melhores de 3 em eliminação simples.

Duas equipes possuem 5 jogadores brasileiros e técnicos daqui, que são os Immortals e a SK Gaming. Apesar disso, ambas são baseadas na América do Norte. Elas estão em grupos diferentes e são boas candidatas a passar de fase.

Onde assistir
A transmissão das partidas é feita através do canal oficial da ESL Pro League no Twitch. Eles possuem o stream A e o stream B, para acompanhar partidas simultâneas com narração em inglês. Quem quiser acompanhar a transmissão em português, com comentaristas como Bernardo "BiDa" Moura, pode utilizar o canal da ESL Brasil.

No momento em que esta notícia foi escrita, os grupos estavam organizados da seguinte maneira:



Equipes HyperX em destaque
A HyperX é uma das principais apoiadoras dos e-Sports no Brasil e no mundo. A empresa patrocina mais de 25 das melhores equipes do cenário. Nas finais da ESL Pro League Season 4, quase metade dos times possuem patrocínio da HyperX.

Grupo A
No grupo A, tem a equipe francesa Team EnvyUs. Apesar de não ter o melhor jogo coletivo, a equipe possui ótimos jogadores como Kenny "kennyS" Schrub e Dan "apEX" Madesclaire. Isso explica a conquista de dois torneios de primeiro nível em 2016: Gfinity CS:GO Invitational e Global eSports Cup - Season 1.

Eles vão competir com a Team Liquid, também apoiada pela HyperX. A equipe está num momento complicado, já que seu treinador, o brasileiro Luis "Peacemaker" Tadeu, deixou a organização no último sábado, dias antes da competição.

Isso se deu por causa de "diferenças filosóficas na maneira de fazer negócios", segundo um comunicado da equipe. Ele levou a Liquid ao vice-campeonato da importantíssima ESL One: Colônia 2016, um feito inédito para um time dos EUA. Em São Paulo, eles não vão nada bem, e perderam as duas primeiras partidas.


Grupo B
Já o grupo B começa com a norte-americana Cloud9. Basta dizer que eles passaram em primeiros da fase online, vencendo 25 de 26 jogos. Além disso, ficaram em 2º lugar de dois dos principais torneios do ano: Northern Arena 2016 - Toronto e DreamHack Bucareste 2016.

O NRG eSports entra mais como um azarão. Com uma mistura de jogadores da Alemanha e dos EUA, eles se classificaram em 5º lugar na América do Norte. Seu principal resultado até hoje está ficar entre o 3º  e o 4º lugar no Counter Pit League Season 2 - Finals.

Para finalizar, tem uma das grandes equipes da temporada, a SK Gaming – que também conta com o apoio da HyperX. Eles vão voltar para disputar um torneio no Brasil depois de conquistar o mundo ao vencer a ESL Colônia 2016. O favoritismo reside especialmente na absoluta classe e habilidade da superestrela Gabriel "FalleN" Toledo.


Fonte: Adrenaline



Nenhum comentário :

Postar um comentário